Futebol/Campeonato Paulista - ( )

Kleina recebe abraço de Valdivia e vê resultado de “conversa franca”

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

Ao marcar o segundo gol do Palmeiras na vitória contra o São Bernardo, Valdivia atravessou o campo e deu um abraço no técnico Gilson Kleina, que o criticou no início do ano por ter se atrasado na reapresentação. O gesto do chileno na noite desta quinta-feira foi visto pelo comandante como um sinal de retribuição do jogador pela bronca que levou há poucas semanas.

“No início do ano, nós tivemos uma conversa, por tudo aquilo que aconteceu na reapresentação. Foi um diálogo muito franco, porque sei de onde vim e para onde quero chegar. Temos respeito mútuo e, às vezes, a cobrança com um tom de voz um pouco acima é importante, mas falei que ele poderia fazer um grande ano. De repente, ele me abraçou porque viu que sou franco e trato a todos com transparência”, afirmou.

Titular pela primeira vez desde 6 de outubro do ano passado, Valdivia explicou que seu abraço foi uma forma de manifestar apoio a Kleina, que já começou a ser questionado nos bastidores do Palmeiras.

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Meia Valdivia deu um abraço no técnico Gilson Kleina depois de ter marcado seu gol no Pacaembu
“Quando o resultado não vem, o primeiro a sair é o treinador, mas nós gostamos muito dele e também agradeço sempre pela confiança que passa. Foi um abraço de agradecimento”, explicou.

A evolução de Valdivia está agradando a nova diretoria. Mesmo assim, o diretor executivo palmeirense, José Carlos Brunoro, ainda planeja ter uma conversa particular com o chileno.

“Não tivemos ainda esse diálogo, porque estamos deixando o Kleina assumir bem essas coisas. Mas, particularmente, quero ter uma conversa no sentido de motivá-lo cada vez mais”, ponderou o dirigente.

Com a incumbência dada pela diretoria, o técnico tenta fazer o Mago se esquecer dos problemas clínicos e das confusões em que se envolveu desde que retornou ao Palmeiras em 2010.

“Futebol tem memória curta, mas você pode fortalecer os projetos individuais no presente, com o coletivo na frente. Ele pode resgatar uma volta à seleção do Chile, à Copa do Mundo... Teve muita entrega da parte dele na vitória de hoje (quinta)”, concluiu.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade