Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Meia chamado de Rondiquelme chega ao Verdão para substituir Valdivia

William Correia São Paulo (SP)

Bastava Paulo Nobre dar aval ao contrato acertado por seu antecessor, Arnaldo Tirone, para Riquelme jogar no Palmeiras. Mas o presidente considerou o jogador do Boca Juniors caro. Quase um mês depois, para fazer sombra a Valdivia, foi apresentado Rondinelly, meia emprestado pelo Grêmio na negociação de Barcos e que no Sul era chamado de Rondiquelme.

“A torcida do Grêmio me chamava assim e também de Rondimessi. O apelido está adotado”, comentou Rondinelly, em discurso similar ao usado há quase um ano por Mazinho, que chegou ao Verdão dizendo ser o “Messi Black”, teve um bom começo e, após renovar contrato, caiu a ponto de ter sido negociado com o futebol japonês no mês passado.

E Rondinelly não era a primeira opção para atender a um pedido de Gilson Kleina, que quer um meia para escalar em meio ao constante desfalque de Valdivia. O primeiro nome solicitado pelo técnico na troca com o Grêmio era Marco Antonio, jogador que não chegou ainda por falta de liberação de Vanderlei Luxemburgo.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Emprestado pelo Grêmio, Rondinelly faz sombra a Valdivia no lugar de Mazinho, o "Messi Black"
Mas Rondinelly, ao menos, se apresenta em condições de atuar na posição do Mago. “Sou um meia que cai pelos dois lados, jogo com ambas as pernas. Sou tanto um meia quanto um cara que chega mais à frente”, definiu-se, similar ao chileno pelo gosto de ser garçom em vez de balançar as redes. “Sou um meia mais de assistência pelos lados do campo. Faço gols às vezes, mas não é o meu forte. Dou bastante passe.”

Já neste domingo, diante do União Barbarense, Valdivia diz que estará em campo por ter se recuperado de lesão na coxa esquerda. E, no banco, poderá para Rondinelly, sua nova sombra. “Estou treinando, está sendo bastante puxado. Acredito que vou estar à disposição para o fim de semana. Vou trabalhar para isso”, prometeu.

O novo camisa 37, contudo, avisa que o chileno não é o único a ser superado na busca por uma vaga entre os titulares. “Vai ser uma briga bastante boa não só com o Valdivia, mas com o Souza, o Welsey. A concorrência é boa. O importante é treinar bem”, comentou.

“Avalio que hoje o Palmeiras tem um grupo forte e pronto para disputar a Libertadores e o Paulista. Se tinha 20 na pré-temporada, agora tem jogadores para varias posições. Está se fortalecendo e pode fortalecer cada vez mais”, prosseguiu “Rondiquelme”.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade