Futebol/Copa Libertadores - ( - Atualizado )

Luis Fabiano cita sua própria recuperação para dar apoio a Ganso

Luiz Ricardo Fini São Paulo (SP)

O meia Paulo Henrique Ganso recebeu mais uma declaração de apoio no São Paulo. Além de ser elogiado com frequência pelo goleiro Rogério Ceni, o jogador ganhou agora elogios de outro ídolo da torcida tricolor, o atacante Luis Fabiano, que citou sua própria história para incentivar o colega de clube.

“Existe uma programação para ele. Não sei qual é, mas eu também tive a minha, porque fiquei lesionado por seis meses e, depois, tive de fazer fortalecimento. Se não está jogando todas as partidas, é porque há um cuidado com ele. Precisam ter paciência e calma”, avaliou.

Quando foi contratado do Sevilla, em 2011, Luis Fabiano se recuperava de uma lesão no tendão próximo ao joelho direito e chegou, inclusive, a passar por duas cirurgias (a segunda foi feita para acelerar a cicatrização).

Sergio Barzaghi/Gazeta Press
Paulo Henrique Ganso foi contratado pelo São Paulo depois de fazer sucesso atuando pelo Santos
Em situação semelhante, Ganso chegou ao Tricolor no ano passado com um problema muscular e precisou se recuperar antes de fazer sua estreia. “Ele não vai ficar parado por meses e depois chegar voando, fazendo gols e maravilha. É preciso ter paciência com ele, que é um grande jogador. Vamos esperar”, acrescentou.

Luis Fabiano citou também a dificuldade que Ganso enfrenta por ter se transferido do Santos, um rival direto do Tricolor. Apesar de o atual camisa 8 ser bastante festejado pela torcida são-paulina, o atacante se lembra do caso de Ricardinho e acredita que é necessário um período de adaptação ao meia.

“Em 2002, o Ricardinho veio do Corinthians em uma contratação polêmica, porque sabia da pressão por vir de um rival. Teve muitas dificuldades, pois o São Paulo vivia um tempo sem títulos, mas depois se enquadrou e nos demos bem. Infelizmente, acabou não conquistando título. Até passamos em primeiro na fase do Brasileiro, com grande de vantagem para o segundo, mas perdemos para o oitavo (Santos, no mata-mata)”, encerrou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade