Futebol/Campeonato Paulista - ( - Atualizado )

Pita fez golaço e ajudou São Paulo a vencer em reencontro com Santos

Tossiro Neto São Paulo (SP)

A situação que Paulo Henrique Ganso enfrentará no domingo à tarde ao jogar pela primeira vez com a camisa do São Paulo contra o Santos, onde foi revelado, o ex-meia direita Pita viveu em 2 de setembro de 1984, aos 27 anos. Saindo-se bem: anotou um belo gol no começo do jogo e abriu caminho para a vitória por 4 a 1, acompanhada por mais de 60 mil pessoas no Morumbi.

Pita não saiu brigado, ao contrário de Ganso, que se despediu sob chuva de moedas, sendo chamado de mercenário pelos torcedores. Aquela transferência para o clube tricolor, na década de 80, envolveu troca de jogadores – Humberto e Zé Sérgio tomaram o rumo contrário. O reencontro, entretanto, foi aguardado com igual expectativa ao longo da semana.

Reprodução/A Gazeta Esportiva
Na véspera do clássico, Pita prometeu empenho, mas reiterou carinho e respeito pelo time praiano, que havia o acolhido por 11 anos, desde pequeno
Na véspera do clássico, Pita prometeu empenho, mas reiterou carinho e respeito pelo time que havia o acolhido por 11 anos, desde pequeno. "Foi muito tempo lá dentro. Nunca vou me esquecer, foi o Santos que me projetou para o futebol. (...) Tenho muita amizade com os funcionários, os jogadores. Mas minha vontade é de vencer, tanto minha quanto dos meus novos companheiros", falou ao jornal A Gazeta Esportiva.

Sua vontade foi feita. Aos 16 minutos de jogo, ele emendou de primeira um escanteio cobrado por baixo e acertou o canto direito de Rodolfo Rodriguez. A partir daí, prevaleceram a força de Casagrande, autor de dois gols de cabeça, e a habilidade de Careca, que fechou o marcador. Lino descontou, mas sem sustentar uma invencibilidade santista que já durava 15 partidas no Campeonato Paulista.

Foi aquele um dos primeiros capítulos da história de Pita no São Paulo, pelo qual seria campeão paulista (85 e 87) e brasileiro (86) antes de seguir para a França. Aposentado dos gramados desde 94, sua história se ligou à de Ganso no ano passado, quando contribuiu com conselhos para convencer o jogador a trocar o litoral pela capital.

"Nas negociações, o que mais pesou foi o histórico do clube, que tem sua história de grandeza, conquistas e ídolos. Muitas pessoas conversaram comigo, como o Pita, que me falou como o São Paulo foi importante na carreira dele", contou o ex-santista de 23 anos, no dia em que foi anunciado como novo maestro tricolor.

O primeiro jogo de Ganso contra o Santos deve ser um pouco diferente. Afora o fato de ter saído criticado de lá, o local do reencontro será a Vila Belmiro, e não o Morumbi. Ao contrário do que se imaginava, no entanto, ele começará entre os titulares, e não no banco de reservas.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade