Seleção Brasileira/Bastidores - ( - Atualizado )

Marin garante Felipão na Copa e vê Confederações como teste do grupo

São Paulo (SP)

Depois de demitir Mano Menezes, o presidente de Confederação Brasileira de Futebol (CBF), José Maria Marin, garante que o atual treinador da Seleção Brasileira, Luís Felipe Scolari, será o comandante na Copa do Mundo de 2014, no Brasil. Os amistosos e a Copa das Confederações, neste ano, serão os testes que Felipão terá para formar o elenco para o Mundial, principal objetivo da gestão Marin.

O desempenho durante 2013 não será critério para avaliar o comandante brasileiro – que conta com o auxílio de Carlos Alberto Parreira –, como explicou o presidente em entrevista ao Arena SporTV.

“Nós precisamos dessas partidas consideradas difíceis”, iniciou Marin, a respeito dos amistosos contra equipes como Inglaterra e França, marcados para este início de temporada. “A Copa das Confederações será teste para os jogadores junto ao Felipe Scolari. Será uma etapa de experiência dos jogadores junto a ele. Não será teste para o Scolari. Eu confio plenamente na capacidade, na competência e na experiência dele e do Parreira”.

Conquistar o título em 2014 é a ambição do presidente de CBF, que elogiou o trabalho que foi feito até agora, inclusive pelo demitido Mano Menezes. “Em grande parte, acho que a autoestima da Seleção Brasileira voltou. O que nós conseguimos formar é um grupo, com um objetivo: ganhar a Copa do Mundo no nosso país. Eu posso te garantir que hoje há muito interesse de jogar na Seleção”, valorizou.

Marin, o mandatário que exigiu receber a lista de convocados com dois dias de antecedência e chegou até a insinuar sugestões a Felipão, reiterou que não ingerência sobre a comissão técnica.

“A delegação é total, não há interferência. Mas a cobrança também é total. Convocar, escalar, é responsabilidade exclusiva do Scolari”, afirmou.

Com a confiança de Marin, a segunda passagem de Luís Felipe Scolari na Seleção Brasileira se iniciará nesta quarta, em partida amistosa contra a Inglaterrra, no estádio de Wembley. Partidas contra Itália, Rússia, França e novamente a Inglaterra estão previstas antes da Copa das Confederações.

Rafael Ribeiro/CBF
Luís Felipe Scolari (E) e Carlos Alberto Parreira (D) terão um ano e meio para montar a Seleção da Copa do Mundo

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade