Futebol/Bastidores - ( - Atualizado )

Reunião do Conselho do Flu tem denúncia de fraude na eleição de 2010

Rio de Janeiro (RJ)

A reunião do Conselho Deliberativo do Fluminense abordou temas muito polêmicos nesta terça-feira: na sede social das Laranjeiras, uma denúncia anônima de fraude na eleição presidencial de 2010, vencida por Peter Siemsen, além do pedido de cassação do ex-presidente do clube entre 2005 e 2010, Roberto Horcades, movimentaram o encontro, que virou caso de polícia.

De acordo com o benemérito Marcos Furtado, houve um desvio de 36 votos, que, mesmo não alterando o resultado da eleição, faria com que 15 sócios da oposição tivessem lugares no CD. A diferença inviabilizaria o “capote”, que é quando o vencedor tem o dobro ou mais de votos do que o segundo colocado, e, por isto, tem o direito de ter 100% de representação no quadro do Conselho.

“É a primeira vez que isso acontece, em 110 anos. Na última quinta-feira, recebi uma caixa com dois envelopes, e neles estavam as cédulas da última eleição presidencial. Procurei um tabelião, e ficou constatado que houve um erro na contagem dos votos, mais precisamente 36. Entreguei os votos para a 9ª DP para a devida investigação. Estou à disposição”, explicou Furtado.

Nelson Perez/Fluminense FC
Reunião do CD tricolor teve denúncia de fraude na eleição de 2010 e continuidade no pedido de cassação de Horcades
Após a denúncia, a assessoria de imprensa tricolor não se posicionou, mas chamou o caso de “ridículo”. Já a oposição, liderada por Júlio Bueno, vencido nas eleições há três anos, sugeriu a criação de uma comissão para investigar a suposta fraude. Segundo o mandatário do CD, Braz Mazullo, o assunto será investigado, mas só depois do primeiro parecer da polícia, no Catete.

Já a outra polêmica da reunião desta terça-feira ficou por conta do pedido de cassação de Roberto Horcades, que comandou o clube carioca entre os anos de 2005 e 2010. As acusações são as de que o ex-mandatário teria feito uma má gestão de recolhimento de impostos, prejudicando a agremiação. A exclusão do quadro de associados também é pedida por alguns conselheiros.

O conselheiro Paulo César Ferreira conversou com alguns sócios para obter assinaturas e, assim, cassar Horcades. Ferreira busca assinaturas desde o ano passado, e também tenta cassar Henrique Ferreira e Tito Cavalcanti, vice-presidente de finanças e tesoureiro, respectivamente, durante a gestão de Horcades.

Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade

Publicidade