Atletismo/Bastidores - ( - Atualizado )

CBAt pede clemência por estádio Célio de Barros e anuncia parceria

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Depois de ver o governador Sérgio Cabral poupar o Parque Aquático Júlio Delamare, José Antônio Martins Fernandes, presidente da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt), pede clemência pelo Célio de Barros. Na manhã desta terça-feira, ele anunciou uma parceria para usar as instalações da Aeronáutica no Rio de Janeiro.

O Júlio Delamare e o Célio de Barros seriam demolidos dentro do projeto de modernização do Complexo do Maracanã para a Copa do Mundo-2014 e para os Jogos Olímpicos-2016. Através de seus perfis nas redes sociais, Cabral anunciou a manutenção do parque aquático.

“Assim como ele apoiou a Confederação de Desportos Aquáticos com o Júlio Delamare, gostaria que o governador revisse o projeto para apoiar também o atletismo brasileiro. É o esporte mais importante dos Jogos Olímpicos e não podemos perder esse equipamento”, afirmou Toninho.

Nesta quarta-feira, Sérgio Cabral terá uma reunião com Carlos Alberto Lancetta, presidente da Federação de Atletismo do Rio de Janeiro (FARJ), para falar sobre o Célio de Barros. A CBAt espera que o encontro defina o destino do estádio.

Nos últimos meses, a comunidade do atletismo brasileiro vem se mobilizando para reivindicar a manutenção do Célio de Barros. Lamine Diack, presidente da Federação Internacional de Atletismo (IAAF), chegou a encaminhar uma carta a Cabral para protestar contra a demolição do estádio.

Fernando Dantas/Gazeta Press
José Antônio Martins Fernandes, presidente da CBAt, espera que o governador mantenha o estádio Célio de Barros
Há relatos de que alguns equipamentos no Célio de Barros foram danificados em meio às obras do Complexo do Maracanã. De acordo com o presidente da CBAt, a gaiola de arremessos sofreu avarias, mas o consórcio responsável pela reforma se comprometeu a arcar com os prejuízos.

A situação do atletismo na cidade-sede da próxima edição dos Jogos Olímpicos ficou ainda mais comprometida com a impossibilidade de usar o Engenhão. Interditado por problemas em sua cobertura, o local pode ser reaberto apenas no começo de 2015.

Neste contexto, a CBAt acerta os últimos detalhes de uma parceria para oferecer aos atletas as instalações da Força Aérea Brasileira localizadas no bairro de Campos dos Afonsos. José Antônio Martins Fernandes espera que o acordo esteja fechado dentro de um mês.

Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) e do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos, já deu declarações minimizando a possível demolição do Célio de Barros, mas, de acordo com Toninho, apoia a causa. “Dentro das possibilidades, ele respalda as manifestações em prol do atletismo”, assegurou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade

Publicidade