Atletismo/Maratona de Londres - ( )

Coadjuvante, Marilson crê em novo recorde com Gebrselassie de coelho

Bruno Ceccon São Paulo (SP)

Acometido por uma forte gripe na reta final de sua preparação, Marilson Gomes dos Santos será coadjuvante na Maratona de Londres, no próximo domingo. Com o etíope Haile Gebrselassie de coelho e alguns dos principais atletas da atualidade na disputa, o brasileiro acredita em um novo recorde mundial.

Bicampeão mundial e tetra olímpico nos 10.000 metros, Gebrselassie, ex-recordista da maratona, foi contratado para marcar o ritmo da prova londrina. A missão do astro etíope é levar os líderes da corrida em ritmo de recorde mundial até o 30º quilômetro do percurso.

A Maratona de Londres será uma das provas mais fortes da história. O queniano Wilson Kipsang, recordista mundial da distância, e o ugandense Stephen Kiprotich, campeão olímpico e mundial, estarão presentes. Assim como o etíope Tsegaye Kebede, defensor do título, e o queniano Emmanuel Mutai, dono do melhor tempo da prova.

“A Maratona de Londres tem mesmo a característica de reunir os melhores corredores. Costumo dizer que é mais forte que os Jogos Olímpicos e Mundiais, mas nesse ano realmente surpreendeu. Nunca disputei uma prova de maratona tão forte”, afirmou Marilson à Gazeta Esportiva.

Djalma Vassão/Gazeta Press
Uma forte gripe atrapalhou a preparação de Marilson Gomes dos Santos para a disputa da Maratona de Londres
Wilson Kipsang estabeleceu o novo recorde mundial (2h03min23s) na Maratona de Berlim-2013, em que o brasileiro chegou na sexta posição. Com quatro dos dez homens mais rápidos da história na distância, Marilson acredita na possibilidade de ver uma nova melhor marca de todos os tempos neste domingo.

“Pode ser que aconteça. É questão de os atletas estarem bem e de o clima estar propício. Não pode estar úmido nem muito seco. Se as condições forem as ideais, as possibilidades são grandes, principalmente pelos competidores inscritos”, afirmou Marilson.

Foto: Justin Tallis/AFP
PROVA MARCA ESTREIA DE MO FARAH 

A grande atração da Maratona de Londres, pelo menos para os britânicos, será a estreia de Mo Farah na distância. Nascido na Somália, o atleta que compete pelo Reino Unido é o atual campeão mundial dos 5.000 e dos 10.000 metros.

“Já tivemos a oportunidade de correr juntos a Meia Maratona de Nova York e ele foi muito bem. Tem todas as características para fazer uma boa maratona. É um atleta rápido e pode se adaptar bem à distância”, disse Marilson, cauteloso.

“As pessoas esperam muito dele e isso acaba gerando uma cobrança maior do próprio atleta. A primeira prova é sempre mais difícil e sabemos de muitos atletas rápidos que não conseguiram se encaixar na maratona. É melhor esperar para ver”, afirmou.

No último domingo, o etíope Kenenisa Bekele, recordista mundial dos 5.000 e 10.000 metros, estreou em grande estilo na distância e bateu o recorde da Maratona de Paris, aumentando a pressão sobre Mo Farah na prova deste domingo.

Dono de três títulos da Corrida Internacional de São Silvestre, o brasileiro de 36 anos, bicampeão da Maratona de Nova York, sofreu com uma forte gripe na reta final de sua preparação e chegou a pensar na possibilidade de abrir mão de disputar a competição londrina.

Orientado pelo técnico Adauto Domingues, o fundista adiou ao máximo a decisão e resolveu correr, mas com uma postura conservadora. Apesar do plano de se poupar durante a prova, Marilson não descarta a possibilidade de fazer índice para os Jogos Pan-americanos de Toronto e para o Mundial de Pequim, ambos previstos para 2015.

Nesta temporada, o brasileiro venceu a Corrida de Reis (10km) e abandonou a Meia Maratona de São Paulo nas imediações do 15º quilômetro. Na Maratona de Londres-2011, fez sua melhor marca na distância (2h06min34s) e foi o quinto nos Jogos Olímpicos de Londres-2012.

“Gosto de correr em Londres. Já competi algumas vezes na cidade e tenho certa experiência, principalmente nessa maratona. Conheço bem o percurso e suas dificuldades. Além disso, sei mais ou menos como é o desenrolar da prova”, contou o brasileiro.

A prioridade de Marilson Gomes dos Santos é disputar a maratona dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro-2016. Para conseguir manter a competitividade nas próximas temporadas, o experiente corredor, treinado por Adauto Domingues, pretende poupar energia.

“Nosso principal objetivo é conseguir a classificação para as Olimpíadas. Por isso, não podemos forçar antes da hora. Querendo ou não, já tenho 36 anos. Esse pensamento influencia até na maneira de encarar a Maratona de Londres. Vamos fazer uma prova mais cautelosa mesmo”, explicou.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade