Futebol/Copa do Brasil - ( - Atualizado )

Corinthians quer entrar em campo de capacete para homenagear Senna

Bruno Ceccon e Marcos Guedes São Paulo (SP)

Para homenagear o piloto Ayrton Senna, o Corinthians quer mandar seus jogadores entrarem em campo de capacetes contra o Nacional-AM, pela Copa do Brasil. A partida, marcada para Manaus, será realizada na próxima quarta-feira, véspera do aniversário de 20 anos da morte do tricampeão mundial de Fórmula 1.

A ideia é que os 11 jogadores entrem no gramado na Arena Amazônia usando capacetes. As peças seriam cedidas pelo Instituto Ayrton Senna, entidade fundada pela família para satisfazer um desejo manifestado pelo piloto pouco antes de seu falecimento.

Atualmente, o clube estuda a viabilidade logística da empreitada. Caso os capacetes não cheguem a tempo a Manaus, o clube homenageará Ayrton Senna com inscrições nas camisas dos atletas, como costuma fazer em ocasiões especiais.

Embora não se considerasse um torcedor fanático do Corinthians, Ayrton Senna tem sua imagem cultuada pelo clube. No Parque São Jorge, entre estátuas de ídolos históricos, há um capacete usado pelo tricampeão em permanente exibição com a seguinte mensagem: “No peito do piloto frio e corajoso batia um coração corintiano”.

Djalma Vassão/Gazeta Press
A torcida do Corinthians costuma homenagear piloto Ayrton Senna nas arquibancadas durante as partidas do time
A admiração é compartilhada pelos torcedores do Corinthians. A Gaviões da Fiel, principal organizada, tem um bandeirão com o personagem Senninha e costuma levar em praticamente todos os jogos faixas em homenagem ao piloto, além de cantar seu nome em datas especiais.

Um dia depois da queda da Seleção nas quartas de final da Copa-1986 diante da França, Senna confortou a torcida ao exibir a bandeira brasileira na pista ao vencer o Grande Prêmio dos Estados Unidos. Já na decisão do Mundial-1994, foi lembrado pelos jogadores em campo com uma faixa logo após a vitória sobre a Itália.

Ayrton Senna da Silva foi campeão mundial de Fórmula 1 nas temporadas de 1988, 1990 e 1991. Então piloto da Williams, o brasileiro sofreu um acidente fatal na curva Tamburello durante o Grande Prêmio de San Marino, disputado em Ímola no dia 1º de maio de 1994.

Publicidade

Publicidade


Publicidade


Publicidade


Publicidade

Publicidade